sábado, outubro 11, 2008

Prémios...

Com IMENSOS dias de atraso, aqui coloco dois prémios que, amavelmente, me foram aferecidos pela bell. Mas sem tempo, nem vontade, deixo para mais tarde a atribuição dos mesmos a blogues especiais. Já me começo a perder, atacada por um cansaço, cansaço... (O que, nesta altura do ano, é muito mau!)

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas -
Essas e o que faz falta nelas eternamente -;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo. íssimo,
Cansaço...
Álvaro de Campos

2 comentários:

bell disse...

Coragem! Nós vamos sobreviver a tudo isto. Custa ao início, depois adaptamo-nos.

Beijinhos, continuação de bom fds!

Fantasia Musical disse...

Exactamente por saber que nos adaptaremos, é que ando mais triste... E que aguentarei, não tenho dúvidas. Afinal ainda vou tendo alguma energia. Mas a que custo? Alguém fica a perder sempre que estou em reuniões pós-laborais ou em casa (ao serão) a trabalhar...
:(