sábado, maio 16, 2009

Os concursos em Portugal


Está a decorrer a IIª Edição do Concurso Nacional de Flauta Transversal do Conservatório de Música deAveiro Calouste Gulbenkian. A minha filha candidatou-se, foi aceite a concurso, tocou hoje na eliminatória (e muito bem, por sinal) e soube, logo de seguida, que fora desclassificada pela idade. (?!?)

No regulamento pode ler-se que os candidatos terão que ter até 18 anos, não indicando qual a data limite. A ficha de inscrição incluía, como é óbvio, a data de nascimento e à data da inscrição, a Carolina tinha 18 anos. Não recusaram a inscrição e até a deixaram tocar e só depois a informam da "irregularidade". Desta forma, inviabilizaram a inscrição no escalão seguinte. Só repararam neste "pormenor" depois de ela tocar? Mais vale dizerem que não a querem lá e pronto! Isto de tocar muito bem, não convém a muita gente!...

Já não é a primeira vez que oiço falar de casos semelhantes nos concursos de música em Portugal. Veja-se, por exemplo, o caso do concurso em Terras de La Sallete, no Oboé, o ano passado...

11 comentários:

clacriferma disse...

sinceramente vergonhoso, mas nada a que não esteja-mos habituados!

Castanha Pilada disse...

A falta de regras claras é uma coisa dum amadorismo imperdoável.

Ana Cláudia disse...

É de uma falta de honestidade a toda a prova... desejo sinceramente que a tua filha tenha conseguido dar a "volta por cima", o que não deve ser fácil...

Fernando Vasconcelos disse...

E sobretudo na ausência de regras claras a interpretação pela desqualificação é um desrespeito até pelo que indica. Falta de chá no melhor dos casos. No pior, enfim todos sabemos o que significa no pior dos casos. Vamos acreditar que estamos simplesmente na presença de falta de educação, inteligência e competência.

Fantasia Musical disse...

É nestes momentos que sinto que já tenho uma filha adulta... Reagiu muito melhor do que eu reagiria. Sem dúvida!

Ouviu, questionou mas não perdeu a calma (pelo menos publicamente) e contactou os pais e o professor. Não se veio embora. Fez questão de ficar e ouvir todas as concorrentes, para poder perceber o motivo pelo qual lhe fizeram isto ;)

Já está a pensar no próximo concurso, daqui a uns dias. Esta foi apenas mais uma experiência ...

Stalker disse...

Acabei de ler e tive de reler. Então têm uma falha no regulamento e é o candidato que é prejudicado?
Isto é lamentável, pois uma coisa é acontecer uma falha, algo que é possível até aos mais experientes, outra é colocar o ónus naquele que nenhuma responsabilidade tem. Isso chama-se outra coisa...

Rui Augusto disse...

Boa noite,
passei por aqui em pesquisa para o novo blog: "Cantinho da Flauta"
http://flautatransversal.blogspot.com/
e não pude deixar de ler e sorrir ... LOL ...
Chamo-me Rui Augusto, provavelmente já ninguém se lembra de mim ... sei bem o que se passa e o que se passava nos concursos, hoje ou entre 1988-1993.

Em 1993, fui o 1º laureado a receber o Prémio “MAESTRO SILVA PEREIRA”, atribuído pela 1ª vez e por unanimidade, pelo júri do prémio “JOVENS MÚSICOS”, ao melhor laureado do nível superior, após actuação com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, no Teatro Nacional de São Carlos.
Foi fantástico tocar o Concerto de Ibert e acabar com um tremendo Fá sobre-agudo, ah, ah não deixa de me recordar velhos tempos.

Embora tenha ganho todos os concursos em que estive, também recebi um 2º lugar em 1991 no Festival Nacional de Música “CARPE DIEM”, em Alcobaça. No fim, um elemento do júri, que eu desconhecia, veio ter comigo e disse-me - olhe, eu não concordei, mas a maioria quis premiar o insólito, um contrabaixista a solo... um colega de quem não me lembro agora o nome, peço desculpa... já lá vão imensos anos e eu perdi o contacto com todo este pessoal !!!

Enfim, dizia eu... CONCURSOS, é irrelevante, hoje mais do que nunca, uma vês que os concursos pululam por todo o lado... acho que os concursos estão a perder o seu valor... a concorrência é inimiga da Arte e não conduz a lado nenhum.
Para que serve aprender uma Arte? Será o titulo de um artigo que em breve escreverei no blog de flauta transversal.

Há mais mundo para lá da música, começa a haver o risco de excesso de especialização e temo pela sanidade mental dessas pessoas e suas vítimas.


Boa sorte! Quem sabe, sabe sempre, nunca passa de moda.

Fernando Vasconcelos disse...

Caro Rui Augusto, conheço no caso do violino vários grandes interpretes que concordam consigo. Assim de memória lembro-me de ter ouvido expressões semelhantes de Menuhin e de Perlman. Estava o outro dia precisamente a discutir a especialização excessiva a que a nossa sociedade quase obriga. A competição entendo que seja inimiga da arte mas como então fazer? Quando numa orquestra existem x lugares e 10x candidatos?

Rui Augusto disse...

Caro Fernando Vasconcelos,

Acaba de colocar 2 excelentes perguntas... pelo carácter arguto das suas interrogações, deduzo que não é músico ...
1- A competição entendo que seja inimiga da arte, mas como então fazer?
2- Quando numa orquestra existem x lugares e 10x candidatos?

Mais do que responder directamente, é necessário fazer boas perguntas e entender o contexto de ilusões em que estamos imersos.

Porque razão afunilamos as pessoas a uma só profissão durante uma vida inteira? Que violência, não importa se a maioria é insensível... adaptando-se, à moda de Darwin, quase todos acabam por sucumbir da doença ("cegueira", esvaziamento pessoal, perda de sentido). Os dinossauros que o digam!!! LOL

Ás tantas, as pessoas descobrem que não sabem fazer mais nada... estão dependentes e prisioneiras no ganha-pão. É, são bem pagos por isso, alguns. Pagos para empatar outros de acederem a essa experiência e estatuto, como no exemplo que sugeriu, no acesso a uma orquestra.

Ser melhor que a nossa sombra, leva a cada vez reduzir mais o campo de especialização... o que é a morte do Espírito ou do "artista".
É o reino do terror na mente de cada um... É uma limitação à realidade do indivíduo, um atentado, uma inversão da alquímia, uma inversão da transformação de cada pessoa e resulta numa verdadeira lavagem ao cérebro, uma robotização (um paradoxo). Faz de mim, aos olhos comuns, um louco, por ter deixado para trás toda a glória e recomeçado a minha busca pela compreensão do Todo, a unidade das coisas. Evidente, é de esperar as maiores represálias e reprovação social a esta postura. Apesar de ser professor há mais de 15 anos, o ministério continuará a ter dificuldades em aceitar as minhas opções e nunca terá uma gaveta para mim. É o preço da consciência, a verdadeira Pedra Filosofal. Foi a minha recruta e o meu doutoramento. Sim, acho que tenho um par de coisas interessantes para dizer sobre assuntos aparentemente banais e adorava ganhar a vida iluminando quem necessitar de me ouvir.

Enfim, não estou talhado para comentários rápidas de blog.... LOL

Nunca haverá lugar para todos nós na Terra, enquanto lutarmos diariamente por vender a "banha-da-cobra" ao nosso semelhante. Será que é esse o nosso real desejo na vida? Se é, nunca esquecer que no processo, nós também compramos dessa banha. Ups, sem estar consciente sequer... e o impossível acontece, debaixo do nosso nariz e poucos de nós serão capazes de se abrir para esta verdade incómoda.

Viver para o dinheiro (pago por dinheiro), suprimir o próximo, produzir o obsoleto, explorar os defeitos das pessoas, etc ... bom, então, esta crise mundial ainda nem começou !!! Esta sociedade está caduca e podre, terá que cair de acordo com o estado de consciência colectivo.

Porque dirigir "os rebanhos" à mesma hora para bebedouros já esgotados?
Dividir para reinar ... ninguém está preocupado com vôce, é um jogo apenas, cabe a cada um decidir se joga e como o joga.

Sempre gostei de Platão.
A Arte deve servir o Homem, ajudando-o a aperfeiçoar as suas sociedades, abrindo a consciência à resolução dos conflitos, não o contrário.

A arte como um circo é uma invenção dos Impérios, dos ditadores que aprisionam a criatividade humana e a conduzem para a guerra, a auto-destruição.

Onde estaríamos nós, se não fossemos liderados por esta escumalha conflituosa?
Isto dava uma grande conversa ... em breve irei escrever o artigo sobre para que serve a Arte... parece que ministra da educação não ficou esclarecida ao fim de 10 anos de trabalho com os lideres das escolas de música no país, é o que parece do estudo ministerial de Fevereiro 2007.

Fantasia Musical disse...

Em parte, concordo consigo, Rui. Mas, essa foi uma aprendizagem que já realizámos. A vida ensina-nos muito :)

Mas como dizer "há um mundo para lá da música" a uma jovem que passa 24 horas agarrada a ela? Neste momento, a música será o seu mundo; é a ela que se dedica a tempo inteiro...

Entristece-me saber que, afinal, estas questões dos concursos não são só de agora. Afinal, os tempos passam e os problemas repetem-se. Bem, já devia saber... Basta lermos Eça de Queirós e veremos que é uma questão com barbas :(

Há dias em que também eu questiono a minha existência. Sou professora de Educação Musical (e gosto bastante), mas estudei violino. Actualmente, procuro manter-me o mais possível perto de uma escola de música ou de músicos. Faz-me falta este lado da música para lá do ensino. Mas é difícil! "Há um mundo para lá da música". Bem, para mim, para além da família (que também ela respira música) pouco haverá. Aliás, não concebo a vida sem música! Pelos vistos, ainda tenho um longo caminho a percorrer na busca da perfeição (LOL)

Rui Augusto disse...

Antes de nos propormos a um concurso ou a outro tipo de exposição pública, temos de rever quais os nossos propósitos... assim prepara-mo-nos (acho que é assim k se escreve) para o melhor e o pior. Alguém com 18 anos deve ser capaz de o fazer, isso não tem relação directa com a idade. A criatividade vive da variedade, não da saturação. Quando aderimos a um concurso e aceitamos o júri, estamos a aceitar as suas regras e imperfeições, sublinho.

É importante livrar-nos de ressentimentos e dúvidas relacionadas ao incidente.

Se calhar, é boa altura para a jovem e os seus pais conversarem e reverem as expectativas mútuas. Para que serve aprender Arte, afinal? Para lá de poder ser um ganha-pão...

Ignorar a profundidade de qualquer tipo de questão apenas cria problemas para no futuro, e em qualquer idade.

Lanço um desafio: façam uma experiência, rodei-se de silêncio... se estiver bem consigo mesma, irá gostar; de outro modo, será uma experiência aterradora.

A família é um desafio imenso e um enorme investimento pessoal. Ainda assim, por sobrar pouco tempo para algo mais...
Se não pode abandonar a sua activiadde profissional, ou se não lhe resta tempo ou coragem para se aventurar em novos horizontes... então, dentro da sua actividade ou área, pode ainda fazer imenso por si mesma e por todos. Use o seu poder e influência para corrigir o que acha errado, tente ser imparcial e inocente. Se tem dúvidas, pergunte, organize modos de contactar com outros horizontes - "Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé". Num baralho de cartas, nada muda, a menos que se introduzam novas cartas.

Fomos educados a parar, quando não há dinheiro. E a não fazer perguntas, quando há. Assim, têm o rebanho sob controle e acabamos sempre a perder. Quando nos dão algo, é para nos tirarem mais a seguir. LOL !!!
Nós participamos e deixamos...

São as dúvidas que nos paralisam... mas, são as certezas que nos amordaçam - Rui Augusto

"Quando a reacção se torna um hábito, paramos de aprender" - Laban

"A aparência do pão, depende da fome".
Ditado Árabe

"Segue a verdade, não o indivíduo" - Anónimo

"O mundo não está ameaçado pelas pessoas más,
e sim por aquelas que permitem a maldade".
Einstein

A ignorância tem sempre razão...a sabedoria, sempre coração. - Rui Augusto

“Quando a inocência não está garantida, a liberdade também não” - Montesquien

“Quando vires um homem bom, pensa em imitá-lo; quando vires um homem mau, examina o teu próprio coração.” - Confúcio

'' Todos comem e bebem;
mas são poucos os que sabem distinguir os sabores''
Confúcio


Escrevo alguns blogs e sites que talvez lhe despertem a curiosidade, digo eu, talvez ...

Filosofia, Arte e Ciência:
http://augustorui.blogspot.com/
http://ooutroladodapercepcao.blogspot.com/
http://apma-artes.blogspot.com/
http://www.wix.com/holociencia_pt/universo_electrico(ver Apresentação do autor e tradutor e as Sinopses)
http://www.wix.com/naturologia/augustorui

Permita-me:
Nunca se sinta diminuída pelas suas opções. Especialmente diante de alguém que lhe revele outras perspectivas. Ninguém a está a julgar, mas sim, a incentivar a ir mais longe.

Não se sinta obrigada a publicar esta mensagem, quer parcial ou totalmente. Obrigado!!!