sábado, outubro 27, 2007

Pianistas...

Hoje fui ao CineTeatro ver e ouvir um dos nomes mais aclamados do piano em Portugal: Miguel Henriques.

Não vou tecer grandes comentários...

Na última quarta-feira estive no pequeno auditório do CineTeatro ouvindo a pianista Luísa Tender. Devo dizer, aliás, que foi um concerto bem menos noticiado na imprensa. Mas, ao longo da sua prestação, fui pensando nas razões que me levaram a desgostar deste instrumento. Afinal, o piano consegue sons incrivelmente belos, magistrais, poéticos até.

Hoje descobri a razão.

7 comentários:

Stalker disse...

Confirma-me só uma coisa, pois não tive oportunidade de vos perguntar: o piano não estava amplificado? A minha opinião é a de que sim, mas queria confirmar.

AP disse...

Acabámos por não chegar a nenhuma conclusão, mas falámos sobre isso por causa do microfone em palco. O som não parecia amplificado, mas... seria para uma gravação?

O que é certo é que me incomodou imenso o ruído de fundo que vinha das colunas... um zzzzzzz constante.

artimanha disse...

Poéticos até... ai ai nem comento : )
Claro que o piano é instrumento fabuloso e com um reportório imenso, ou não seria eu pianista : )

Nunca é tarde para se aprender a gostar.

Se estivesses estado (suponho que não) no ultimo concerto do Sokolov na Casa da Música, aí sim, rendias-te definitivamente ao som do piano. Foi sem duvida um dos melhores que assisti até hoje. Não há palavras que o descrevam.
Há sempre a possibilidade de o ver no youtube, mas não é a mesma coisa.

(o blog está a ficar cada vez melhor, parabéns)

AP disse...

Pois, não estive lá, não... Neste momento já penso, "com muita pena minha". Mas, nessa altura, um concerto para piano solo não me faria deslocar até ao Porto. Vou andando em pézinhos de lã, bem devagarinho. Se souberes de outro concerto que consideres assim excelente, avisa-me! Farei os possíveis para ir. Até porque, como se pode ler na citação do dia de hoje, "o conhecimento é como o dinheiro: quanto mais temos, mais queremos ter" :-) Quanto ao que me dizes sobre o blogue ;-) fiquei muito feliz. Obrigada!

artimanha disse...

Esta temporada tens azar. O ciclo de piano da Gulbenkian é fraquito, na minha opinião.
Talvez o Zimerman a 18 de Março. Na Casa da Música infelizmente só se sabe à ultima da hora. A programação sai aos soluços. Enfim ... coisas tipicas da cidade do porto.

A aversão que tens ao piano tinha eu à música antiga e de repente dou por mim a comprar a assinatura da gulbenkian para ver a grande Cecilia Bartoli, Jordi Saval e Fabio Biondi que me fizeram mudar radicalmente de ideias.
Talvez te aconteça o mesmo ... nunca se sabe.

ap disse...

Hum... O saber das novidades em cima da hora, ultimamente não tem tido bons resultados. Com tudo aquilo que temos que fazer...(presumo que também tenham vidas agitadíssimas!). Por exemplo, já há bastante tempo reservei os bilhetes para o concerto do dia 09 de Novembro na Gulbenkian (flauta transversal) e 22 de Dezembro (Missa de Bach). Se nos atrasamos um pouco, não sobram bilhetes...

artimanha disse...

Sim isso é verdade. A casa da Música nesse aspecto é péssima. Inclusivamente às vezes repete os concertos da Gulbenkian (raramente infelizmente). Quando isso acontece, já eu tenho bilhetes para Lisboa. Perde-se dinhero e tempo.
Conclui-se que a Casa da Música deveria publicar a programação anualmente e não trimestralmente como é hábito.
Para já não falar na qualidade, que ultimamente anda muito por baixo.