quarta-feira, abril 02, 2008

Afinal de contas, ler faz muito mal às pessoas:

Impecável!
... acorda os homens para realidades impossíveis, tornando-os incapazes de suportar o mundo insosso e ordinário em que vivem. A leitura induz à loucura (...)
.
Ler realmente não faz bem. A criança que lê pode-se tornar um adulto perigoso, inconformado com os problemas do mundo, induzido a crer que tudo pode ser de outra forma. (...)
.
Sem ler, o homem jamais saberia a extensão do prazer. (...)
.
Ler pode provocar o inesperado. (...)
.
Além disso, os livros estimulam o sonho, a imaginação, a fantasia. (...)
.
Ler pode ser um problema, pode gerar seres humanos conscientes demais dos seus direitos políticos em um mundo administrado, onde ser livre não passa de uma ficção sem nenhuma verosimilhança. Seria impossível controlar e organizar a sociedade se todos os seres humanos soubessem o que desejam. (...) O que é mais subversivo do que a leitura? (...)
.
Sim, a leitura devia ser proibida. Ler pode tornar o homem perigosamente humano.
Guiomar de Grammon
.
O texto integral aqui

3 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

LOL .., Fahrneiht 451 de Bradbury . A temperatura à qual os livros ardem ...

AP disse...

Pois confesso: não conheço nem o livro nem o filme (parece que foi adaptado ao cinema por François Truffaut, em 1966). Tendo em conta o que li, é uma falha grave que necessita ser remediada...

Fernando Vasconcelos disse...

Sim a adaptação é excelente. O Bradbury é um autor de ficção cientifica com uma prosa perto da prosa poética. É excelente.