quarta-feira, abril 02, 2008

Sou como o girassol

Há uns dias atrás, resolvi desafiar alguns dos meus amigos, solicitando-lhes uma imagem que represente a minha pessoa. (Este desafio foi-me sugerido pela képia) O objectivo é, sem recorrer a fotografias, seleccionar uma única imagem que represente uma parte importante de mim. Parece simples mas, garanto-vos, é deveras complicado! Talvez por esse facto tenha recebido ainda poucas respostas :)
No entanto, destaco a primeira que recebi, por acaso de um dos meus irmãos: um girassol. Fiquei surpreendida! O meu irmão vê-me como um girassol!!
A justificação por ele dada deixou-me K.O. :)
- sou alta e forte
- transmito calor, luz e descontracção
- sou enérgica, activa e optimista
- busco sempre algo, mesmo que para isso tenha que “girar” o dia inteiro
- estou bem fixa à “terra”
- um campo de girassóis é algo digno de ser visto
- o girassol tem sempre consigo folhas que o apoiam e um caule rijo que o suporta
- as suas sementes são preciosas
- e ele gosta muito de girassóis amarelos!
.
Uma delícia!
.
Já recebi mais algumas igualmente originais e maravilhosas das minhas filhas, do meu marido... Aguardo, ansiosa, por mais.
.
Hoje, por curiosidade, a minha filha mais velha falou-me de um poema de Alberto Caeiro O meu olhar é nítido como um girassol e destacou uma frase: "Sinto-me nascido a cada momento / Para a eterna novidade do mundo...". Foi uma risota, pois é assim mesmo que me vejo. Como tenho uma memória bastante fraca, olho para o mundo sempre como se fosse a primeira vez. E fico sempre maravilhada! Ainda por cima, com este título... Giríssimo!!! Partilho-o convosco...

O meu olhar é nítido como um girassol

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo comigo
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do mundo...

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...
O mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo.

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência é não pensar...

Alberto Caeiro

4 comentários:

Képia disse...

é giro não é??
gostei dessa parte de teres colocado a explicação da pessoa, não me ocorreu fazê-lo mas é mais giro ainda do que colocar só as imagens.

AP disse...

Giríssimo! Acabo por olhar para mim com outros olhos :) Nem sabia que pensavam em mim assim...

paula disse...

OLA , MEU NOME É PAULA SOU PROFESSORA ,AQUI NO BRASIL
ESTOU PESQUISANDO , SOBRE A VIDA, GIRASSOL E VAN GOGH,POIS QUERO FAZER UM PROJETO DE EDUCAÇÃO INFANTIL, QUE VAI SE CHAMAR , HÁ VIDA NOS GIRASSOIS DE VAN GOHG, PASSO POR AQUI PRA DIZER Q UE GOSTEI DE SUA PAGINA E DO POEMA QUE SUA FILHA LHE DEIXOU
UM ABRAÇO PAULA REGINA

AP disse...

Obrigada, Paula. Foi com muita alegria que li a sua mensagem ;)
De facto Fernando Pessoa é especial...

Desejo-lhe sorte e saúde para a concretização do seu projecto! Volte sempre e, se puder, partilhe connosco alguns dos resultados. Deixou-nos curiosos :D