terça-feira, novembro 27, 2007

Sabem o que é tautologia?

Pois eu, apesar de saber o conceito, não lhe conhecia o nome.


No Priberam li:
tautologia - do Gr. tautología <>vício de locução que consiste em dizer sempre a mesma coisa, em termos diferentes.

Esta conversa vem a propósito de um mail que recebi de um amigo, onde me apresentava diversas expressões usadas diariamente por muitos de nós, sem que nos apercebamos da utilização de vícios de locução. Verifiquem se não será o vosso caso :)

subir para cima
descer para baixo
elo de ligação
acabamento final
certeza absoluta
quantia exata
nos dias 8, 9 e 10, inclusive
juntamente com
expressamente proibido
em duas metades iguais
sintomas indicativos
há anos atrás
vereador da cidade
outra alternativa
detalhes minuciosos
a razão é porque
anexo junto à carta
de sua livre escolha
todos foram unânimes
conviver junto
facto real
encarar de frente
multidão de pessoas
amanhecer o dia
criação nova
retornar de novo
empréstimo temporário
surpresa inesperada
escolha opcional
planear antecipadamente
abertura inaugural
continua a permanecer
a última versão definitiva
possivelmente poderá ocorrer
comparecer em pessoa
gritar bem alto
propriedade característica
demasiadamente excessivo
a seu critério pessoal
exceder em muito
surpresa inesperada

3 comentários:

Anónimo disse...

Tenho visto com regularidade o seu blog, mesmo no trabalho - como é agora o caso - porque tenho um filho clarinetista e estudante do Conserv. de Música do Porto. Também acho piada às curiosidades da língua e alguns exemplos serão também "pleonasmos" creio. Um outro caso de vício de locução - dos locutores da comunicação social - que quando em directo, em cerimónias demoradas p. exº, não tendo mais que referir, dizem frequentementemente: " Temos aqui um campasso de espera..." essa expressão tão do domínio musical.

Anónimo disse...

...queria ter escrito "compasso de espera". Sorry!

José Barbosa

AP disse...

É verdade, sim senhora! Já, por várias vezes, ouvi essa expressão. E esse "compasso de espera", normalmente curto para quem assiste, é TÃO longo para os jornalistas ;)